O que é contraste e quando é necessário usar?

contraste ressonância magnéticaO contraste é uma substância química utilizada, por via oral ou de forma endovenosa, na realização de determinados exames, como tomografias e ressonâncias, com objetivo de diferenciar tecidos e órgãos, pois age de maneira desigual em certas estruturas tornando mais visível possíveis lesões, tumores, ou seja, células anômalas ao seu meio.

Não seria possível essa análise através de procedimentos laboratoriais convencionais. Sem seu uso, a imagem não ficaria nítida o suficiente, já que o comportamento das organizações celulares podem ser semelhantes. Há alguns anos o uso do contraste em exames como a ressonância magnética obteve grande repercussão na mídia. Isso ocorreu, porque pessoas que se submeteram a ressonâncias, com o uso do mesmo, sofreram reações alérgicas provenientes de substâncias da composição do contraste e vieram a óbito.

Quais são o risco de uso do contraste?

Os casos de complicações devido ao uso de contraste em ressonância magnética e outros exames são raros e a utilização da substância, dependendo da situação, é de extrema importância. Em pacientes com câncer, por exemplo, a aplicação dessa substância se faz necessária, uma vez que, saber o tamanho do tumor é fundamental para determinar o tratamento adequado, assim, uma imagem com maior riqueza de detalhes facilita o processo.

As tomografias, ressonâncias magnéticas, ou radiografias adotam como agente principal do contraste, o iodo, enquanto em ressonâncias, o gadolíneo, substância a base de um metal. O último deve ser evitado em portadores de insuficiência renal. Esses pacientes não conseguem eliminar a composição química em suas excretas, então ela vai se acumulando no sangue, podendo ocasionar a síndrome da esclerose sistêmica, uma doença auto-imune. Apesar do iodo conter alto teor alergênico, reações adversas como: coceira, vermelhidão, mal estar, também ocorrem com o uso do gadolíneo.

Como saber se o paciente pode usar contraste

Mesmo com os riscos, pequenos, mas existentes, um exame de qualidade influência no tratamento e até mesmo na cura de um paciente. Detectar o que afeta o organismo, ainda mais se for descoberto com antecedência, possibilita inúmeras formas de intervenções.

Para tanto, basta tomar algumas precauções: escolher clínicas confiáveis para realização de qualquer procedimento médico, principalmente esses, que demandam certos cuidados, responder com total veracidade, as informações solicitadas antes dos processos clínicos, pois assim os médicos vão saber conduzir o exame com cautela.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 18/01/2016, 14:51

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME

contraste ressonância magnéticaO contraste é uma substância química utilizada, por via oral ou de forma endovenosa, na realização de determinados exames, como tomografias e ressonâncias, com objetivo de diferenciar tecidos e órgãos, pois age de maneira desigual em certas estruturas tornando mais visível possíveis lesões, tumores, ou seja, células anômalas ao seu meio.

Não seria possível essa análise através de procedimentos laboratoriais convencionais. Sem seu uso, a imagem não ficaria nítida o suficiente, já que o comportamento das organizações celulares podem ser semelhantes. Há alguns anos o uso do contraste em exames como a ressonância magnética obteve grande repercussão na mídia. Isso ocorreu, porque pessoas que se submeteram a ressonâncias, com o uso do mesmo, sofreram reações alérgicas provenientes de substâncias da composição do contraste e vieram a óbito.

Quais são o risco de uso do contraste?

Os casos de complicações devido ao uso de contraste em ressonância magnética e outros exames são raros e a utilização da substância, dependendo da situação, é de extrema importância. Em pacientes com câncer, por exemplo, a aplicação dessa substância se faz necessária, uma vez que, saber o tamanho do tumor é fundamental para determinar o tratamento adequado, assim, uma imagem com maior riqueza de detalhes facilita o processo.

As tomografias, ressonâncias magnéticas, ou radiografias adotam como agente principal do contraste, o iodo, enquanto em ressonâncias, o gadolíneo, substância a base de um metal. O último deve ser evitado em portadores de insuficiência renal. Esses pacientes não conseguem eliminar a composição química em suas excretas, então ela vai se acumulando no sangue, podendo ocasionar a síndrome da esclerose sistêmica, uma doença auto-imune. Apesar do iodo conter alto teor alergênico, reações adversas como: coceira, vermelhidão, mal estar, também ocorrem com o uso do gadolíneo.

Como saber se o paciente pode usar contraste

Mesmo com os riscos, pequenos, mas existentes, um exame de qualidade influência no tratamento e até mesmo na cura de um paciente. Detectar o que afeta o organismo, ainda mais se for descoberto com antecedência, possibilita inúmeras formas de intervenções.

Para tanto, basta tomar algumas precauções: escolher clínicas confiáveis para realização de qualquer procedimento médico, principalmente esses, que demandam certos cuidados, responder com total veracidade, as informações solicitadas antes dos processos clínicos, pois assim os médicos vão saber conduzir o exame com cautela.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 18/01/2016, 14:51

OUTRAS NOTÍCIAS

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME:

Para Agendar Consultas, Exames e Procedimentos.
(61) 3213 6625