HPV tem cura?

HPV tem cura?

O HPV, Human Papiloma Virus, é um vírus que vive na pele e mucosas dos seres humanos, como vulva, vagina, colo de útero e pênis. É uma DST, ou seja, essa infecção é transmitida pelo ato sexual. Existe uma possibilidade de transmitir o vírus do HPV de mãe para o bebê quando for fazer parto, entretanto, somente um pequeno número de crianças desenvolve a papilomatose respiratória juvenil.

Ainda não existe cura contra esse vírus. Portanto é necessário sempre usar preservativo em suas relações sexuais.

A doença pode ser controlada, quando não é tratado o HPV pode desenvolver câncer de colo de útero e câncer na garganta.

Sintoma

Aparecimento de verrugas genitais na vagina, pênis e ânus. É possível também o aparecimento de prurido, queimação, dor e sangramento. Esse vírus se espalha rapidamente, podendo se estender ao clitóris e aos canais perineal, perianal e anal. As lesões também podem aparecer na boca e na garganta do homem e da mulher.

Nos homens, a maioria das lesões se encontra no prepúcio, na glande e no escroto. As verrugas apresentam um aspecto de uma couve-flor.

Diagnóstico

O HPV pode ser diagnosticado através do exame ginecológico e de exames laboratoriais, como Papanicolau, colposcopia, peniscopia e anuscopia. Para isso é necessário que agende uma consulta com seu ginecologista para uma avaliação. A qualquer sinal de dores e mudanças no corpo é importante que converse com seu médico para a realização de exames.

Exame

Os principais exames são o papanicolau que é realizado preventivamente e detecta as alterações que o HPV pode causar nas células e um possível câncer, mas não é capaz de diagnosticar a presença do vírus. Recomenda-se que as mulheres realizem anualmente a partir dos 25 anos. E a colposcopia que aumenta a visão do médico de 10 a 40 vezes, o exame permite a identificação de lesões na vulva, na vagina e no colo do útero.  É possível também fazer a captura híbrida que é um teste qualitativo de biologia molecular ou o PCR (reação da cadeia de polimerase) por meio de métodos de biologia molecular com alta sensibilidade, esse teste detecta a presença do genoma dos HPV em células, tecidos e fluidos corporais.

Prevenção

Mantenha sempre esses cuidados para garantir uma saúde perfeita:

Uso de camisinha masculina, para todos os tipos de relações sexuais (oral, anal, genital) ou uso da camisinha feminina. Não importa o modelo, é preciso usar para evitar desde uma gravidez indesejada até doenças sexualmente transmissíveis.

Anualmente fazer papanicolau, evitar fumar, beber e usar drogas, manter sempre uma alimentação saudável para que seu corpo fique bem.

Tratamento e Cuidado

Em alguns casos, o HPV não apresenta sintomas e é eliminado pelo corpo. Contudo cerca de 40% dos tipos existentes de HPV podem afetar as áreas genitais de ambos os sexos, o que provoca lesões como as verrugas genitais e as alterações no colo do útero. A forma de tratamento deverá ser escolhida levando-se em conta a idade da paciente, o tipo de HPV, a extensão e a localização das lesões.

Infelizmente quando o câncer já está em um estágio mais avançado, a retirada do útero é a forma mais adequada para a paciente, portanto assim que perceber qualquer disfunção corra ao médico para uma consulta.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 27/06/2015, 10:00

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME

HPV tem cura?

O HPV, Human Papiloma Virus, é um vírus que vive na pele e mucosas dos seres humanos, como vulva, vagina, colo de útero e pênis. É uma DST, ou seja, essa infecção é transmitida pelo ato sexual. Existe uma possibilidade de transmitir o vírus do HPV de mãe para o bebê quando for fazer parto, entretanto, somente um pequeno número de crianças desenvolve a papilomatose respiratória juvenil.

Ainda não existe cura contra esse vírus. Portanto é necessário sempre usar preservativo em suas relações sexuais.

A doença pode ser controlada, quando não é tratado o HPV pode desenvolver câncer de colo de útero e câncer na garganta.

Sintoma

Aparecimento de verrugas genitais na vagina, pênis e ânus. É possível também o aparecimento de prurido, queimação, dor e sangramento. Esse vírus se espalha rapidamente, podendo se estender ao clitóris e aos canais perineal, perianal e anal. As lesões também podem aparecer na boca e na garganta do homem e da mulher.

Nos homens, a maioria das lesões se encontra no prepúcio, na glande e no escroto. As verrugas apresentam um aspecto de uma couve-flor.

Diagnóstico

O HPV pode ser diagnosticado através do exame ginecológico e de exames laboratoriais, como Papanicolau, colposcopia, peniscopia e anuscopia. Para isso é necessário que agende uma consulta com seu ginecologista para uma avaliação. A qualquer sinal de dores e mudanças no corpo é importante que converse com seu médico para a realização de exames.

Exame

Os principais exames são o papanicolau que é realizado preventivamente e detecta as alterações que o HPV pode causar nas células e um possível câncer, mas não é capaz de diagnosticar a presença do vírus. Recomenda-se que as mulheres realizem anualmente a partir dos 25 anos. E a colposcopia que aumenta a visão do médico de 10 a 40 vezes, o exame permite a identificação de lesões na vulva, na vagina e no colo do útero.  É possível também fazer a captura híbrida que é um teste qualitativo de biologia molecular ou o PCR (reação da cadeia de polimerase) por meio de métodos de biologia molecular com alta sensibilidade, esse teste detecta a presença do genoma dos HPV em células, tecidos e fluidos corporais.

Prevenção

Mantenha sempre esses cuidados para garantir uma saúde perfeita:

Uso de camisinha masculina, para todos os tipos de relações sexuais (oral, anal, genital) ou uso da camisinha feminina. Não importa o modelo, é preciso usar para evitar desde uma gravidez indesejada até doenças sexualmente transmissíveis.

Anualmente fazer papanicolau, evitar fumar, beber e usar drogas, manter sempre uma alimentação saudável para que seu corpo fique bem.

Tratamento e Cuidado

Em alguns casos, o HPV não apresenta sintomas e é eliminado pelo corpo. Contudo cerca de 40% dos tipos existentes de HPV podem afetar as áreas genitais de ambos os sexos, o que provoca lesões como as verrugas genitais e as alterações no colo do útero. A forma de tratamento deverá ser escolhida levando-se em conta a idade da paciente, o tipo de HPV, a extensão e a localização das lesões.

Infelizmente quando o câncer já está em um estágio mais avançado, a retirada do útero é a forma mais adequada para a paciente, portanto assim que perceber qualquer disfunção corra ao médico para uma consulta.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 27/06/2015, 10:00

OUTRAS NOTÍCIAS

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME:

Para Agendar Consultas, Exames e Procedimentos.
(61) 3213 6625