HPV causa câncer de colo de útero?

Vacina para prevenção do HPV

O HPV (papilomavírus humano) é um dos principais tumores entre as mulheres do mundo. No Brasil, os dados refletem que há cerca de 20 mil casos e 4 mil mortes anualmente.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o HPV está presente em mais de 90% dos casos de câncer. Os mais frequentes são os do colo de útero, que correspondem a 10% dos casos da doença em mulheres no mundo e o segundo tumor com maior frequência no sexo feminino. Depois do câncer de mama e do colorretal é a quarta causa de morte entre as mulheres.

O Instituto estima o diagnóstico de 16.340 novos casos de câncer de colo de útero no país em 2017. É uma doença que se desenvolve a partir de uma inflamação na parte mais baixa do útero, onde as células cancerígenas se multiplicam e se transformam em tumor.

Mas seria o HPV a principal causa de câncer de colo de útero entre as mulheres?

HPV: é o principal causador de câncer de colo de útero?

O HPV é um vírus sexualmente transmissível que atinge a mucosa da pele de diversas partes do corpo, principalmente os órgãos sexuais, e se destaca como o principal causador do câncer de colo de útero.

Alguns fatores de risco contribuem para o desenvolvimento do câncer de colo de útero, como já ter contraído outras doenças sexualmente transmissíveis ou ser portadora do HIV. Hábitos como o tabagismo, vários parceiros sexuais e alterações na vulva podem levar ao surgimento do colo de útero. Mas o grande precursor da doença é o HPV.

Qual a melhor maneira de prevenção do câncer de colo de útero?

Hoje, já há a possibilidade de vacinação contra o HPV antes do início da vida sexual. Além disso, é fundamental que haja um acompanhamento médico ginecológico para que exames periódicos preventivos (de Papanicolaou ou citopatológico) possam detectar com maior precisão a doença e evitar lesões menos doloridas e com maior chance de cura.

É importante destacar que a maioria das pessoas infectadas pelo HPV não tem qualquer sintoma, ou seja, o vírus é inaparente e de caráter transitório, regride espontaneamente. O paciente apenas poderá saber se realmente está infectado através de exames laboratoriais. Isso porque, as infecções pelo HPV se apresentam como lesões microscópicas ou não produzem lesões, o que chamamos de lesões latentes.

Neste caso, não é possível garantir que o HPV está presente, mas apenas que não está produzindo a doença.

Qual o tratamento para o HPV?

Não há tratamento específico para eliminar o vírus. O médico ginecologista é quem irá verificar a extensão, número e localização do HPV e irá indicar a melhor forma de tratamento. Podem ser utilizados laser, eletrocauterização, ácido tricloroacético (ATA) e medicamentos que melhoram o sistema de defesa do organismo.
É fundamental que haja um acompanhamento médico e que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível, de forma a reduzir (ou eliminar) as lesões precursoras, reduzindo a incidência e mortalidade pelo câncer de colo de útero.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 16/08/2017, 09:00

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME

Vacina para prevenção do HPV

O HPV (papilomavírus humano) é um dos principais tumores entre as mulheres do mundo. No Brasil, os dados refletem que há cerca de 20 mil casos e 4 mil mortes anualmente.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o HPV está presente em mais de 90% dos casos de câncer. Os mais frequentes são os do colo de útero, que correspondem a 10% dos casos da doença em mulheres no mundo e o segundo tumor com maior frequência no sexo feminino. Depois do câncer de mama e do colorretal é a quarta causa de morte entre as mulheres.

O Instituto estima o diagnóstico de 16.340 novos casos de câncer de colo de útero no país em 2017. É uma doença que se desenvolve a partir de uma inflamação na parte mais baixa do útero, onde as células cancerígenas se multiplicam e se transformam em tumor.

Mas seria o HPV a principal causa de câncer de colo de útero entre as mulheres?

HPV: é o principal causador de câncer de colo de útero?

O HPV é um vírus sexualmente transmissível que atinge a mucosa da pele de diversas partes do corpo, principalmente os órgãos sexuais, e se destaca como o principal causador do câncer de colo de útero.

Alguns fatores de risco contribuem para o desenvolvimento do câncer de colo de útero, como já ter contraído outras doenças sexualmente transmissíveis ou ser portadora do HIV. Hábitos como o tabagismo, vários parceiros sexuais e alterações na vulva podem levar ao surgimento do colo de útero. Mas o grande precursor da doença é o HPV.

Qual a melhor maneira de prevenção do câncer de colo de útero?

Hoje, já há a possibilidade de vacinação contra o HPV antes do início da vida sexual. Além disso, é fundamental que haja um acompanhamento médico ginecológico para que exames periódicos preventivos (de Papanicolaou ou citopatológico) possam detectar com maior precisão a doença e evitar lesões menos doloridas e com maior chance de cura.

É importante destacar que a maioria das pessoas infectadas pelo HPV não tem qualquer sintoma, ou seja, o vírus é inaparente e de caráter transitório, regride espontaneamente. O paciente apenas poderá saber se realmente está infectado através de exames laboratoriais. Isso porque, as infecções pelo HPV se apresentam como lesões microscópicas ou não produzem lesões, o que chamamos de lesões latentes.

Neste caso, não é possível garantir que o HPV está presente, mas apenas que não está produzindo a doença.

Qual o tratamento para o HPV?

Não há tratamento específico para eliminar o vírus. O médico ginecologista é quem irá verificar a extensão, número e localização do HPV e irá indicar a melhor forma de tratamento. Podem ser utilizados laser, eletrocauterização, ácido tricloroacético (ATA) e medicamentos que melhoram o sistema de defesa do organismo.
É fundamental que haja um acompanhamento médico e que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível, de forma a reduzir (ou eliminar) as lesões precursoras, reduzindo a incidência e mortalidade pelo câncer de colo de útero.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 16/08/2017, 09:00

OUTRAS NOTÍCIAS

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME:

Para Agendar Consultas, Exames e Procedimentos.
(61) 3213 6625