Diferenças entre a Tomossíntese e a Mamografia

Diferenças entre a Tomossíntese e a Mamografia

O câncer de mama é uma das doenças de maior frequência no Brasil e no mundo. Suas taxas de mortalidade ainda são muito altas, principalmente devido à falta de um diagnóstico precoce, nas fases iniciais da doença. Essa informação torna ainda mais importante a necessidade da realização de exames preventivos periódicos. Dentre os exames preventivos, a mamografia e a tomossíntese mamária são os mais precisos na detecção de lesões iniciais. Conheça abaixo um pouco de cada procedimento.

O que é mamografia?

A mamografia tem por objetivo obter imagens da mama com maior especificidade de suas estruturas, detectando a formação de pequenas lesões suspeitas no tecido, que podem vir a se tornar um tumor maligno. Lesões encontradas em fase inicial, quando tratadas adequadamente tem chances de cura de mais de 98%. Porém, para que esse exame seja efetivo, deve-se ressaltar que ele precisa ter um alto controle de qualidade, que vai desde o correto posicionamento da mama no momento do exame até a confecção de imagens de boa visibilidade e qualidade, que permitirá interpretações mais ricas pelos médicos. Assim que detectada alguma formação suspeita na mama, esta será submetida a uma biópsia para verificação.

O que é Tomossíntese Mamária?

A Tomossíntese mamária, também chamada por mamografia mamária ou mamografia 3D é uma nova técnica de identificação precoce de câncer de mama que é capaz de aumentar em 12% a probabilidade de se detectar a formação de um tumor, quando comparada à mamografia digital. Esse equipamento é semelhante a um mamógrafo, porém, seu braço contem a ampola de raios-x, permitindo a visualização de uma série de imagens bidimensionais da mama não acessíveis pela mamografia digital. Assim, é possível reconstruir a mama digitalmente através de imagens em diversos ângulos, com fatias de 1 mm de espessura de toda a mama.

Dessa maneira, esse novo método revolucionário aumenta a sensibilidade e especificidade do exame de mamas, permitindo a distinção de imagens que são verdadeiramente suspeitas de imagens provocadas apenas pela superposição de estruturas da mama. Em consequência, diminui-se a necessidade de alguns tipos de biópsias, sendo esta uma das maiores vantagens da tomossíntese mamária.

Estudos indicam que a tomossíntese mamária tem melhor desempenho com mulheres com mamas densas, uma vez que a formação de nódulos pode ter um aspecto semelhante ao tecido desse tipo de mama.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 10/11/2016, 14:12

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME

Diferenças entre a Tomossíntese e a Mamografia

O câncer de mama é uma das doenças de maior frequência no Brasil e no mundo. Suas taxas de mortalidade ainda são muito altas, principalmente devido à falta de um diagnóstico precoce, nas fases iniciais da doença. Essa informação torna ainda mais importante a necessidade da realização de exames preventivos periódicos. Dentre os exames preventivos, a mamografia e a tomossíntese mamária são os mais precisos na detecção de lesões iniciais. Conheça abaixo um pouco de cada procedimento.

O que é mamografia?

A mamografia tem por objetivo obter imagens da mama com maior especificidade de suas estruturas, detectando a formação de pequenas lesões suspeitas no tecido, que podem vir a se tornar um tumor maligno. Lesões encontradas em fase inicial, quando tratadas adequadamente tem chances de cura de mais de 98%. Porém, para que esse exame seja efetivo, deve-se ressaltar que ele precisa ter um alto controle de qualidade, que vai desde o correto posicionamento da mama no momento do exame até a confecção de imagens de boa visibilidade e qualidade, que permitirá interpretações mais ricas pelos médicos. Assim que detectada alguma formação suspeita na mama, esta será submetida a uma biópsia para verificação.

O que é Tomossíntese Mamária?

A Tomossíntese mamária, também chamada por mamografia mamária ou mamografia 3D é uma nova técnica de identificação precoce de câncer de mama que é capaz de aumentar em 12% a probabilidade de se detectar a formação de um tumor, quando comparada à mamografia digital. Esse equipamento é semelhante a um mamógrafo, porém, seu braço contem a ampola de raios-x, permitindo a visualização de uma série de imagens bidimensionais da mama não acessíveis pela mamografia digital. Assim, é possível reconstruir a mama digitalmente através de imagens em diversos ângulos, com fatias de 1 mm de espessura de toda a mama.

Dessa maneira, esse novo método revolucionário aumenta a sensibilidade e especificidade do exame de mamas, permitindo a distinção de imagens que são verdadeiramente suspeitas de imagens provocadas apenas pela superposição de estruturas da mama. Em consequência, diminui-se a necessidade de alguns tipos de biópsias, sendo esta uma das maiores vantagens da tomossíntese mamária.

Estudos indicam que a tomossíntese mamária tem melhor desempenho com mulheres com mamas densas, uma vez que a formação de nódulos pode ter um aspecto semelhante ao tecido desse tipo de mama.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 10/11/2016, 14:12

OUTRAS NOTÍCIAS

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME:

Para Agendar Consultas, Exames e Procedimentos.
(61) 3213 6625