Como a densitometria óssea analisa o corpo humano e detecta doenças como a osteoporose?

Como a densitometria óssea analisa o corpo humano e detecta doenças como a osteoporose?

Utilizada amplamente para detectar a presença de osteoporose ou osteopenia, a densitometria óssea é um importante recurso na área médica. O objetivo fundamental é constatar a redução da massa óssea de forma precisa e precoce. Este procedimento ajuda a detectar de maneira eficaz a densidade de minerais dos ossos.

O exame de densitometria óssea é feito mediante a utilização de um aparelho Dual Energy X-Ray Aborptiometry. Ele faz uso da técnica de DXA, visando avaliar a condição óssea na região proximal ao fêmur, coluna lombar e terço distal do rádio. A prioridade em analisar estas estruturas é por conta da grande incidência de fraturas.
Embora este exame seja muito tranquilo de ser realizado, inúmeras pessoas desconfiam do procedimento, até mesmo por não compreender como é realizada a análise. Sobre isto, é preciso ressaltar que este exame é indolor, não gera desconforto e é extremamente rápido. Em termos de vantagens, existem dois benefícios primordiais de se fazer este tipo de exame: o primeiro e mais contundente é que há pouca exposição à radiação, sendo que a exposição aos raios é dez vezes menor que a gerada pela radiografia convencional e a segunda vantagem é ser um exame que demora somente cinco minutos.

Quem deve fazer a densitometria óssea?

De modo geral, a densitometria é indicada para mulheres com idade superior a 65 anos, já para os homens é indicado a partir dos 70 anos. Embora estas sejam as recomendações no que tange ao sexo, é importante verificar outros critérios, como possuir um peso baixo (IMC < 18,5), ingestão de medicamentos que potencializem o aparecimento da osteopenia e osteoporose, ter fraturas, controle do progresso da osteoporose, controle do tratamento e possuir doenças que aumentem as chances de osteoporose. Não é frequente, no entanto, os pediatras pedirem a realização deste exame para avaliar o crescimento da criança, pois sua solicitação geralmente está atrelado à suspeita de diversas afecções, em especial daquelas que podem comprometer o desenvolvimento e crescimento da criança.

Procedimento

O primeiro passo para realizar este exame é trocar de roupa e colocar o avental oferecido pelo hospital. Após a troca de roupa, você deverá deitar na maca do aparelho. O técnico em radiografia ou médico colocará suas pernas corretamente posicionadas no suporte de esponja, desta forma, a sua coluna ficará alinhada à pelve. Após o correto posicionamento, o laser agirá em zigue-zague, digitalizará os ossos e medirá a quantidade de radiação absorvida pelos mesmos. Em adultos, a densitometria é feita em dois ossos, assim é possível comparar a estrutura óssea de um e outro componente.

Alguns dados adicionais sobre a densitometria óssea

Conforme foi mencionado anteriormente, a densitometria tem um tempo de duração de aproximadamente cinco minutos para verificação do estado dos ossos da coluna e para avaliação do fêmur. Já o estudo do corpo todo leva uns dez minutos para ser finalizado. A densitometria é feita com uma periodicidade variável, normalmente a indicação é de um ou dois anos, no entanto, o tempo de intervalo entre uma e outra sessão deve ser estabelecido pelo médico. Não há recomendações para serem consideradas no período após a realização do exame, ou seja, a pessoa pode levar uma vida normal.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 23/08/2016, 17:21

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME

Como a densitometria óssea analisa o corpo humano e detecta doenças como a osteoporose?

Utilizada amplamente para detectar a presença de osteoporose ou osteopenia, a densitometria óssea é um importante recurso na área médica. O objetivo fundamental é constatar a redução da massa óssea de forma precisa e precoce. Este procedimento ajuda a detectar de maneira eficaz a densidade de minerais dos ossos.

O exame de densitometria óssea é feito mediante a utilização de um aparelho Dual Energy X-Ray Aborptiometry. Ele faz uso da técnica de DXA, visando avaliar a condição óssea na região proximal ao fêmur, coluna lombar e terço distal do rádio. A prioridade em analisar estas estruturas é por conta da grande incidência de fraturas.
Embora este exame seja muito tranquilo de ser realizado, inúmeras pessoas desconfiam do procedimento, até mesmo por não compreender como é realizada a análise. Sobre isto, é preciso ressaltar que este exame é indolor, não gera desconforto e é extremamente rápido. Em termos de vantagens, existem dois benefícios primordiais de se fazer este tipo de exame: o primeiro e mais contundente é que há pouca exposição à radiação, sendo que a exposição aos raios é dez vezes menor que a gerada pela radiografia convencional e a segunda vantagem é ser um exame que demora somente cinco minutos.

Quem deve fazer a densitometria óssea?

De modo geral, a densitometria é indicada para mulheres com idade superior a 65 anos, já para os homens é indicado a partir dos 70 anos. Embora estas sejam as recomendações no que tange ao sexo, é importante verificar outros critérios, como possuir um peso baixo (IMC < 18,5), ingestão de medicamentos que potencializem o aparecimento da osteopenia e osteoporose, ter fraturas, controle do progresso da osteoporose, controle do tratamento e possuir doenças que aumentem as chances de osteoporose. Não é frequente, no entanto, os pediatras pedirem a realização deste exame para avaliar o crescimento da criança, pois sua solicitação geralmente está atrelado à suspeita de diversas afecções, em especial daquelas que podem comprometer o desenvolvimento e crescimento da criança.

Procedimento

O primeiro passo para realizar este exame é trocar de roupa e colocar o avental oferecido pelo hospital. Após a troca de roupa, você deverá deitar na maca do aparelho. O técnico em radiografia ou médico colocará suas pernas corretamente posicionadas no suporte de esponja, desta forma, a sua coluna ficará alinhada à pelve. Após o correto posicionamento, o laser agirá em zigue-zague, digitalizará os ossos e medirá a quantidade de radiação absorvida pelos mesmos. Em adultos, a densitometria é feita em dois ossos, assim é possível comparar a estrutura óssea de um e outro componente.

Alguns dados adicionais sobre a densitometria óssea

Conforme foi mencionado anteriormente, a densitometria tem um tempo de duração de aproximadamente cinco minutos para verificação do estado dos ossos da coluna e para avaliação do fêmur. Já o estudo do corpo todo leva uns dez minutos para ser finalizado. A densitometria é feita com uma periodicidade variável, normalmente a indicação é de um ou dois anos, no entanto, o tempo de intervalo entre uma e outra sessão deve ser estabelecido pelo médico. Não há recomendações para serem consideradas no período após a realização do exame, ou seja, a pessoa pode levar uma vida normal.

Arquivo em: — Clínica da Mama @ 23/08/2016, 17:21

OUTRAS NOTÍCIAS

MARQUE SUA CONSULTA OU EXAME:

Para Agendar Consultas, Exames e Procedimentos.
(61) 3213 6625